Micromobilidade: a direção para o futuro

O termo “micromobilidade” vem ganhando espaço entre público, mesmo sendo recente em nossa história: surgido em 2017, através do empresário Horace Dediu que durante o Tech Festival Copenhague utilizou-o para se referir aos meios de transporte com menos de 500 kg que possuíssem motor elétrico. Além disso, a parte “micro” pertence ao fato de serem veículos utilizados em deslocamentos de curtas distâncias sendo benéfico ao seu motorista pela conveniência.

Devido aos seus aspectos observamos uma maior frequência na área urbana e consequentemente a adaptação de infraestruturas que permitam um maior deslocamento desses veículos. Apesar disso, atualmente ainda não existe uma regulamentação  apropriada no Código de Trânsito Brasileiro, entretanto, visto essa necessidade as discussões iniciaram para criar diretrizes condizentes e adequadas que torne-os mais seguros para todos.

Relações com o Meio Ambiente

É recorrente a indicação do quanto os veículos movidos por combustíveis fósseis vem causando problemas na saúde do ambiente e, consequentemente, na nossa. Por conta disso, a busca de meios que substitua-os e/ou reflitam um menor dano estão sendo cada vez mais frequentes. Vemos isso no incentivo do uso do transporte público, surgimento de veículos elétricos ou híbridos e diversas outras mudanças. 

A utilização da micromobilidade vem se tornando uma dessas saídas, evitando um maior impacto no ambiente da mesma forma que uma praticidade e comodidade maior ao seu motorista evitando, por exemplo, a utilização de carro para curtas distâncias.Grandes empresas, em busca de uma ligação maior com a sustentabilidade, já vem utilizando e incentivando o uso desses veículos em suas dependências.

Ganhando força na pandemia!

A micromobilidade mostrou ter um grande potencial durante a pandemia visto que se tornou uma alternativa para evitar o transporte público e sua lotação, permitindo que seu locomotor tenha uma restrição maior nesse caso.Ainda, a preocupação que haja o surgimento de novas doenças decorrentes da agressão ao meio ambiente que causa o desequilíbrio de diversas relações ecológicas, são motivos para a busca por atitudes mais sustentáveis, trazendo um pensamento mais consciente da população. Todos esses fatores contribuem para uma maior movimentação nesse mercado.

Problemáticas encontradas

Especialistas alertam os perigos que patinetes e bicicletas motorizadas podem causar na segurança de todos, visto que podem alcançar velocidades superiores rapidamente além de sua aparência ser muito próxima dos não motorizados, dificultando muitas vezes sua identificação.

No Brasil, a parte de infraestrutura não se mostra um impedimento para sua utilização, porém a conscientização de seus condutores ainda apresenta-se um desafio, e a falta de regularização contribui para isso. Mesmo que venha se tornando uma nova tendência com veículos mais aprimorados com motores e diversos outros equipamentos, as bicicletas comuns têm seu espaço desde muito tempo e seus benefícios não só para o meio, mas também para a saúde de seu motorista e pela praticidade são fatores de conhecimento geral da população. Assim, levando em consideração as problemáticas expostas, é importante um estudo mais aprofundado de sua gestão e investimento em sua qualidade e segurança.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Abrir WhatsApp
Precisa de ajuda?
Olá!
Como podemos te ajudar?