A importância das nascentes para a preservação do meio ambiente

Assim como um alicerce é uma base para a construção de casas e edifícios, as nascentes também são base para o surgimento e conservação dos rios, córregos e lagos onde fazem parte do ciclo da água. 

O Ciclo Hidrológico constitui-se de uma sucessão de vários processos na natureza onde a água inicia o seu caminho partindo de um estágio inicial até retornar a uma posição original. Isso refere-se a um fenômeno global de circulação da água entre a superfície terrestre e a atmosfera, sendo impulsionada pela energia solar e associado à gravidade atmosférica e à rotação terrestre. (MIRANDA, OLIVEIRA, SILVA, 2010). Porém essa dinâmica é altamente impactada pelo uso do solo decorrentes dos processos de degradação, urbanização e metropolização.

Manejo

Ao identificar a nascente, a sua área adjacente deve ser cercada com o objetivo de limitar o acesso de pessoas e animais ao local. A distribuição do uso do solo também é controlado, em um raio de 50 metros da a área deve ser exclusiva para a preservação da nascente. Ou seja, uma área de preservação permanente. Com isso é evitado que aconteça erosão e outras coisas que poluem a água. Em volta dessa área, pode ser utilizado para vegetação rasteira, arbustiva, gramíneas. Seguidas das árvores com folhas caducas, cultivo agrícola e frutífera e logo atrás cultura com plantações de pinus/eucaliptos, mata nativa e bambu como demonstrado na imagem abaixo.





A presença de animais devem ser o mais longe possível das nascentes para que seus dejetos não cheguem às margens das nascentes.

O que é outorga?
A outorga de uso de recursos hídricos é um dos instrumentos das Políticas Nacional (Lei Federal nº 9.433, de 08 de janeiro de 1997) de Recursos Hídricos. Com isso, possibilitar um maior controle dos usos da água e o efetivo exercício dos direitos de acesso aos recursos hídricos. Assim, vários usos dos recursos hídricos precisam da realização de outorga, dentre eles:
●        A derivação ou captação de parcela da água existente em um corpo d’água para consumo final, inclusive abastecimento público, ou insumo de processo produtivo;
●        A extração de água de aqüífero subterrâneo para consumo final ou insumo de processo produtivo;
●        Lançamento em corpo de água de esgotos e demais resíduos líquidos ou gasosos, tratados ou não, com o fim de sua diluição, transporte ou disposição final;
●        Uso de recursos hídricos com fins de aproveitamento dos potenciais hidrelétricos;
●        Outros usos que alterem o regime, a quantidade ou a qualidade da água existente em um corpo de água.
 
 Gostou? Nos acompanhe para mais informações sobre o meio ambiente!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Abrir WhatsApp
Precisa de ajuda?
Olá!
Como podemos te ajudar?